quarta-feira, 23 de abril de 2014

Deu no Tripadvisor: Sancho, em Fernando de Noronha, é a praia mais bonita do mundo!!!

Eu sei que você deveria estar lendo agora sobre a Chapada Diamantina, como eu havia prometido no meu último post, mas tive que mudar meus planos de repente, pois não poderia deixar este grande momento para depois! Pois é, a longínqua e vulcânica ilha de Fernando de Noronha, destino cobiçado por muitos, “furou a fila” com meu total consentimento e louvor, pois a sua belíssima Baía do Sancho acabou de ser eleita, pelo site de viagens Tripadvisor, a melhor praia do mundo!!! Uau, parabéns para ela e para nós brasileiros, pois isso não é pouca coisa não, já que este site é super conceituado e utilizado por milhões de viajantes pelo mundo afora, inclusive por mim, que já afirmei várias vezes ser ele é o meu fiel oráculo nas minhas consultas turísticas!
Esta eleição acontece anualmente e a votação é feita pelos próprios usuários do site, o que torna cada escolha bastante peculiar! Não é nenhum profissional ou acadêmico de turismo que escolhe isso ou aquilo, mas sim os próprios turistas, ou seja, gente como você e eu! Claro que, em se tratando de gosto, os critérios são sempre totalmente subjetivos, e tudo o que é tachado como “o mais” ou “a mais” “do mundo” não pode ser tomado como uma verdade absoluta, mas que isso traz muita satisfação, prestígio e glamour, aaaah isso traz!  
Voltando à eleição, eu mesma tenho vários “primeiros lugares” no quesito praia, mas ter recebido um e-mail do próprio Tripadvisor dizendo “Hi Vania, guess which beach just won #1 in the world? (Oi Vania, adivinha qual praia acabou de ser eleita a n° 1 do mundo?)” não tem preço e me encheu de orgulho e alegria! Por isso, Fernando de Noronha, aqui vamos nós!!!
A cerca de 550 km da costa de Recife (Pernambuco) e com 21 ilhas, o arquipélago de Fernando de Noronha está localizado sobre um vulcão cuja base tem 74 km de diâmetro e 4.200 metros de profundidade. Extinta há mais de 20 mil anos, a cratera submersa faz parte de uma cadeia de montanhas da parte Atlântica da placa sul-americana. As rochas vulcânicas mais antigas do arquipélago têm cerca de 12 milhões de anos! As paisagens que hoje existem em Noronha são o resultado de períodos de erupção intensa, quando aconteciam explosões e emissão de lavas, e outros calmos, com a ocorrência de erosão sedimentar.
O arquipélago foi descoberto em 1503 pela armada de Américo Vespúcio, e em 1505 o rei D. Manoel doou a ilha a Fernão de Loronha, fidalgo financiador da expedição que a descobrira. Esta foi a primeira Capitania Hereditária do Brasil, mas a ilha permaneceu em total abandono, pois seu donatário nunca se interessou por ela. Depois disso, o arquipélago foi ocupado em momentos diversos da história, por portugueses, ingleses, franceses e holandeses.

Em 1700 a capitania de Fernando de Noronha retorna à coroa, tornando-se por carta régia dependência da Capitania de Pernambuco. Mas, despovoada e em completo abandono, a ilha foi novamente ocupada em 1736, pelos franceses da Companhia Francesa das Índias Orientais, passando a se chamar Isle Dauphine. Em 1737 o arquipélago foi definitivamente ocupado pelos portugueses, quando os franceses foram expulsos de vez, e sem nenhuma resistência, por uma expedição vinda do Recife. A fim de impedir novas investidas dos franceses, são construídos os fortes de Nossa Senhora dos Remédios, Nossa Senhora da Conceição e Santo Antônio.
Anos mais tarde o lugar serviu de base militar para os Estados Unidos, durante as duas Guerras Mundiais e no período da Guerra Fria, onde havia um posto de observação de mísseis teleguiados. Até 1982, além de ter servido como área militar, a ilha também abrigou um presídio! Somente nos anos 90 o local foi aberto ao turismo, e mesmo assim com muitas restrições, uma vez que em 1988 ele foi transformado em Parque Nacional Marinho administrado pelo IBAMA, e em 2001 foi tombado pela Unesco, como Patrimônio Mundial Natural! 
Chega-se à ilha de avião, partindo de Recife ou Natal, em voos diários de aproximadamente 60 minutos. O lugar é longe e caro, não tem como negar, pois todos os produtos disponíveis vêm do continente, o que eleva os preços do simples pãozinho, à gasolina, que é a mais cara do Brasil! E ainda tem a taxa de permanência, que também não é muito barata, justamente para evitar que o turista fique no local mais do que o necessário, que deve ser algo entre 5 e 7 dias, no máximo. É um destino exótico e bastante exclusivo também, pois não pode receber mais de que um número específico de visitantes por vez, que varia conforme a época! Isto porque a ilha é pequena, com apenas 17 km² e 7 km de extensão, tendo suas praias divididas em mar de dentro, voltado para o lado do Brasil, e o mar de fora, voltado para o da África. Do mar de fora eu recomendo as seguintes praias:

1) do Leão: é um dos destaques do mar de fora! O lugar ganhou este nome em função da enorme formação rochosa dentro do mar, que vagamente se assemelha a um leão-marinho deitado. Extensa, com águas de vários matizes de azul e verde, a praia é a escolhida pelas tartarugas marinhas para desovar no período de janeiro a junho. Sob a supervisão do Projeto Tamar, os turistas acompanham de perto a corrida das tartaruguinhas rumo ao primeiro banho de mar! Ao lado fica o Morro da Viuvinha e, nas duas formações, uma infinidade de ninhos faz do local um santuário dessas aves. 
2) Baía do Sueste: de acesso fácil e asfaltado, esta praia também é freqüentada por tartarugas marinhas. Por isso, não esqueça a máscara de mergulho e as nadadeiras, pois a chance de nadar ao lado delas, que chegam aos bandos, é enorme! É lá que fica, também, a Pousada Maravilha, a mais bonita, luxuosa, exclusiva e cara da ilha! Por conta disso, você pode esbarrar com várias celebridades!
 
3) do Atalaia: chega-se nessa praia depois de uma longa e cansativa caminhada pelas pedras, feita somente com o acompanhamento de um guia local e credenciado. As lindas paisagens pelo percurso não nos deixam esquecer a origem vulcânica da ilha. A chegada à praia é impactante, com a bela visão das pedras negras e do Morro do Frade bem no meio do mar! Os recifes formam extensas piscinas naturais, rasas, cristalinas e com excelente visibilidade, onde há muitos corais, peixes e sim, alguns tubarões! Controlado pelo Ibama, o local só recebe poucas pessoas de cada vez, e para que todos tenham acesso, cada grupo permanece por uma hora no máximo. Pegue o ingresso no Centro de Visitantes do Parque Marinho, na Alameda Boldró;
 
 
Do mar de dentro indico as seguintes praias: 1) Cacimba do Padre: uma das maiores praias da ilha, com 900 metros de extensão, abriga um dos cartões-postais de Noronha, o Morro Dois Irmãos. As águas são verde-azuladas e repletas de vida marinha, a areia é clara e fofa e a vegetação nativa dos morros avança sobre a praia, propiciando um belo pôr-do-sol. No verão, as ondas chegam a cinco metros!
2) Baía dos Porcos: tem um acesso um pouco difícil, mas dá para chegar a pé através da Cacimba do Padre, numa caminhada de 15 minutos pela areia, com alguns trechos pelas pedras. Mas o esforço é totalmente recompensado pela pequena praia com faixa de areia estreita e muitas pedras, que formam piscinas de águas transparentes e cheias de peixes coloridos! O paredão altíssimo e a vista do Morro Dois Irmãos completam o belo visual!
 
3) do Cachorro: logo abaixo da Vila dos Remédios, esta pequena praia é a mais freqüentada pelos moradores da ilha. Muito simpática, tem areias claras e fofas e águas calmas e cristalinas, além de uma fonte de água doce. A infra-estrutura garante cerveja gelada e aluguel de máscaras de mergulho!
 
4) da Conceição: aos pés do Morro do Pico, é outro belo cartão-postal de Noronha, foi onde fiquei e gostei bastante! O acesso é fácil e o mar é calmo, paisagem que muda completamente no verão, quando os surfistas tomam conta do local por causa das boas formações de ondas. O canto direito abriga o Morro de Fora, com piscinas e peixinhos. É um dos melhores pontos da ilha para apreciar o pôr-do-sol;
5) do Meio: de pequena extensão, fica entre as praias do Cachorro e da Conceição, tem águas mansas e piscinas naturais. Nos períodos de ressaca ganha boas ondas;
6) do Boldró: uma das preferidas dos surfistas no verão, quando as ondas chegam a cinco metros! No resto do ano atrai vários turistas em função de suas piscinas com rica vida marinha. Um mirante nos arredores atrai muitos turistas e nativos na hora do pôr-do-sol, de onde se tem uma bela panorâmica;
7) do Americano: pequena, deserta e perfeita para quem busca privacidade, é cercada por pedras dos dois lados, tem águas muito azuis e areia fofa e clara;
8) do Bode: as suas piscinas naturais são acessíveis pelas pedras. O local funciona como ponto de partida para o trio de praias mais belo de Noronha: Cacimba do Padre, Baía dos Porcos e Sancho;
9) E por último, a mais bonita do mundo: Baía do Sancho! Com águas cristalinas e bancos de coral, esta praia é considerada um dos melhores pontos do Brasil para a prática do mergulho livre. Na época de desova das tartarugas marinhas, entre janeiro e junho, fica interditada das seis da tarde às seis da manhã. O acesso não é fácil, pois é feito a partir do alto de um penhasco, de onde se tem uma vista espetacular! Mas não é imposspível! Ali tem início a descida por uma escada encravada na rocha, que nos leva à areia branquinha, banhada por um mar “caribenho- tupiniquim”! 
Esta praia é uma das poucas onde é permitida a parada de embarcações, sendo uma boa opção para quem não quiser se aventurar pela descida entre as rochas. Porém, quem chega lá de barco perde a linda panorâmica do alto do morro! Eu, particularmente, fiz essa descida entre as rochas sem problema algum, e foi muito melhor do que eu pensava! Claro que a dificuldade é bem maior para pessoas de idade avançada, acima do peso ou com algum problema de locomoção. Fora isso, é tranqüilo e só valoriza a chegada a este paraíso!
 
 
 
 
Em Noronha há muitas opções de lazer, como observação de golfinhos, caminhadas por trilhas, passeios de barco, de veículo 4x4 e especialmente os mergulhos de snorkel ou de cilindro, pois este é um dos melhores lugares do mundo para esta prática! Isto porque as águas transparentes proporcionam uma ótima visibilidade, que chega a 50 metros! A diversidade da fauna marinha é outro grande atrativo, com cardumes variados e coloridos, e também arraias, tubarões (!), tartarugas (muitas!), moréias, barracudas, golfinhos (figurinhas fáceis!), esponjas e corais. Os melhores lugares para o mergulho são os naufrágios na Ponta da Sapata e na Baía de Santo Antônio, além da Laje Dois Irmãos e do Buraco do Inferno.
  
 
A ilha oferece, ainda, maravilhosos mergulhos noturnos, período em que muitas espécies exóticas e coloridas dão o ar da sua graça! Esta modalidade é permitida apenas para mergulhadores credenciados, mas, para quem não tem prática, as operadoras locais oferecem o famoso “batismo”, que é um mergulho diurno que desce no máximo a 15 metros de profundidade, sempre com a supervisão de instrutores. Este mergulho inclui o kit roupa de neoprene, cilindro, colete, máscara e nadadeiras. Crie coragem e embarque nesta aventura sem medo, pois há um imenso jardim subaquático, multicolorido e cheio de vida! E não há necessidade de ir até as profundezas, pois com 15 ou até mesmo 10 metros já se pode ter uma inesquecível visão desse paraíso! E olha que eu sou meio claustrofóbica, mas criei coragem e mergulhei numa boa, com total segurança e tranqüilidade! Eu recomendo!
A melhor maneira de conhecer a ilha é alugando um bugre, embora eu tenha utilizado ônibus algumas vezes. Há também várias atividades que podem ser contratados nos próprios hotéis, como os passeios de barco, mergulhos de cilindro, o Ilhatur, para conhecer a ilha toda num veículo 4x4, em aproximadamente 8 horas e a visita à Baía dos Golfinhos. Desses programas, quatro são imperdíveis:

1) Acordar de madrugada e ir direto para o mirante no alto da Baía dos Golfinhos, para ver a chegada desses simpáticos e inteligentes cetácios, por volta das 6 da manhã! É neste horário que eles costumam aparecer para alimentar os seus filhotes, descansar, brincar e dar cambalhotas no ar, num show particular, como se soubessem que estão sendo vistos por uma platéia extasiada, lá do alto do mirante! 
Mirante da Baía dos Golfinhos
 
2) Assistir às interessantes e animadas palestras na sede do Projeto Tamar, que em 1984 iniciou suas atividades de pesquisa e conservação no arquipélago. Mesmo na concepção do projeto arquitetônico, o Tamar buscou alternativas ecologicamente corretas nas suas instalações físicas, que são bem bacanas. O Centro de Visitantes foi inaugurado em 1996, por conta do crescimento do turismo no início da década de 90. Assim, Noronha se tornou um dos grandes destinos ecoturísticos nacionais e hoje o Centro recebe cerca de 40 mil visitantes/ano.

O Programa de Palestras Ambientais teve início em 1996 e desde então elas acontecem diariamente no auditório do Centro, com capacidade para 90 pessoas e acesso gratuito. Cada noite tem seu tema ambiental fixo e todas as 2ª e 5ª feiras os visitantes podem acompanhar, também gratuitamente, a atividade de monitoramento de tartarugas marinhas, através de captura intencional na praia, para marcação e biometria. De dezembro a junho dá para acompanhar o monitoramento noturno na praia do Leão, com a abertura dos ninhos!
Com uma concepção bastante interessante e inovadora, o programa de conservação ambiental do Projeto Tamar procura sempre interagir com as comunidades envolvidas, dando suporte para as ações de longo prazo. Porque é preciso cuidar primeiro das pessoas, para que elas tenham condições de proteger a natureza! Então, as populações locais são essenciais nessa parceria, que é obtida graças às campanhas educativas de informação, sensibilização e conscientização ambiental, buscando alternativas de subsistência não predatórias para os pescadores e suas famílias, promovendo a inserção social, apoiando creches e escolas e oferecendo profissionalização para os jovens. Um belíssimo exemplo que tem dado super certo, nos vários estados do Brasil onde o Projeto atua!
3) Ir no forró do Bar do Cachorro, nem que seja somente para olhar! Para completar essa atmosfera paradisíaca, Noronha está sempre uma hora a frente em relação a Brasília, então na ilha é sempre horário de verão!

4) Ver o por do sol, que é um espetáculo único na ilha! Os melhores pontos são: Praias da Conceição e da Cacimba do Padre, Forte de Nossa Sra. dos Remédios, Forte de São Pedro, Mirante do Boldró e Porto de Santo Antônio.  
 
Falando agora sobre a hotelaria, há uns 8 anos atrás, mais ou menos, Noronha era bem precária em termos de hospedagem, que sempre foi cara, sem conforto e sem glamour! O supra-sumo da infra-estrutura receptiva era oferecer ar-condicionado e um banho quente, acredite se quiser! Eram as chamadas “pousadas familiares”, que ainda existem, mas que agora têm que conviver com outras opções bem mais confortáveis, super equipadas e cheias de estilo!

Mesmo hoje em dia, as pousadas familiares ou não, continuam sendo caras, aliás como acontece em toda e qualquer ilha bonita e famosa que se preze! A diferença é que agora, além das novas pousdas, temos algumas veteranas renovadas e aprimoradas, como por exemplo o Solar dos Ventos, no Sueste, a Pousada da Morena e a famosa e badaladíssima Pousada Zé Maria, ambas na Praia da Conceição, sendo esta última a escolha de 10 entre 10 celebridades! As duas contam com serviços bacanas e visuais simplesmente deslumbrantes!
Solar dos Ventos
 
 
 
Pousada da Morena



Pousada Zé Maria
 
 
 
 
Mas, o grande divisor de águas mesmo, foi a chegada da exclusivíssima Pousada Maravilhano Sueste, que foi uma espécie de fada-madrinha que com sua varinha de condão abriu as portas para este tipo de hospedagem “com grife”, que eu particularmente adoro e carinhosamente denomino rústico-chic!  Além de estilosas e super equipadas, estas novas “pousadas-conceito” ainda oferecem serviços diferenciados, tais como wi-fi, locação de carro, transfers, várias opções de passeios, piscinas de borda infinita, ofurôs, spas, tratamentos estéticos, massagens, cerimônias de casamento, pacotes de lua-de-mel, restaurantes, bares, lounges, etc.
 
 
Nesta novíssima leva, todas na Praia da Conceição ou nas proximidades, temos:
 
 
 
No entanto, mais do que exclusividade, luxos e paparicos, o grande diferencial e o valor agregado mais importante que estas pousadas estão incorporando e disseminando é a prática do desenvolvimento sustentável! Essa política começou já nos seus projetos arquitetônicos, ecologicamente corretos, perfeitamente integrados ao entorno, com o mínimo de interferência no solo e utilizando madeira de reflorestamento e outras matérias-primas naturais. 

A prática do consumo consciente se reflete também no sistema de reaproveitamento da água das chuvas através do simples sistema de calhas; na adoção do “Sistema Mizumo de Tratamento de Água”, responsável pela reciclagem da água dos sanitários, chuveiros e lavanderia, que retornam para as bacias sanitárias; na utilização de produtos biodegradáveis e que causem menos impacto ao meio ambiente; na coleta seletiva do lixo, que é separado e enviado para a reciclagem; na preferência pelo reutilizável, evitando a indústria do descartável; no uso racional da energia elétrica, com a instalação de placas para o aquecimento solar; na escolha de eletrodomésticos de baixo consumo de energia e fabricados com componentes reciclados; na separação dos resíduos sólidos; no cultivo da horta orgânica através da compostagem; no paisagismo com espécies nativas. Tudo funciona graças ao investimento na formação e conscientização da comunidade local, colocando em prática a “Lei dos 3 Rs: Reduzir, Reaproveitar e Reciclar”!
 
A Pousada Zé Maria chegou ao luxo de implantar um Sistema de Gestão Ambiental, baseado nas normas internacionais ISO 14001, buscando alcançar padrões de excelência no que se refere à sustentabilidade. A norma comprova a capacidade de uma empresa em atingir seus objetivos ambientais e econômicos, priorizando a proteção à natureza e o combate à poluição, mas também garantindo o crescimento sócio-econômico. Isto é pra lá de politicamente correto e um belo exemplo a ser seguido! Graaaande Zé!
 
Apesar das enormes melhorias no setor hoteleiro, Noronha ainda carece de certos tratos e de um bom choque de ordem! A Vila dos Remédios, onde está o centrinho da ilha, precisa de um pouco mais de charme, apesar da ainda manter uma igreja do século 18 e de algumas outras construções históricas preservadas. Os demais bairros são bem precários, com casas descuidadas e ruas esburacadas, que ficam bem enlameadas quando chove. A única grande estrada asfaltada é a BR-363, com apenas 7 km, que cobre muito pouco da ilha. Então, prepare-se para esta gangorra visual e sensorial! Por outro lado, no que se refere à natureza e às paisagens, eu garanto que ninguém se decepcionará!
No quesito comes-e-bebes, a vinda dessa nova geração de pousadas proporcionou um up-grade também nesta área, já que quase todas elas abrem seus restaurantes aos não-hóspedes também, mas sempre mediante reserva! Com isso, além do visual apurado, se ganhou também na qualidade e na variedade de opções!

Duas recomendações de alguns $$$: 1) o “Festival Gastronômico” aberto ao público em geral, toda quarta e sábado a partir das 20:00 horas, na Pousada Zé Maria. Este rega-bofe é famoso e disputadíssimo pelo conjunto da obra: comida fresca, boa e variada + ver e ser visto!
2) o restaurante do Beijupirá Lodge, nome pomposo para mais um empreendimento da cadeia luso-pernambucana de pousadas e restaurantes Beijupirá, que já conta com unidades em Olinda, Porto de Galinhas, Praia dos Carneiros (Pernambuco) e Porto de Pedras (Alagoas)! E é especificamente a este estilo rústico-chic que eu me referi acima, pois tanto nas suas pousadas, quanto nos seus restaurantes, a proprietária Adriana Didier usa e abusa de elementos locais para fazer suas alquimias e estripulias, sempre com muita criatividade e bom gosto, na gastronomia e na decoração! 

Nos seus restaurantes comumente são saboreadas muitas delícias exóticas, como o dourado empanado com canela e cardamomo, acompanhado de banana empanada no coco, filé de galo-alto com molho de pitanga e arroz de castanha, camarão no mel de engenho com arroz de maracujá, que são servidas nas mesas embaixo dos pés de seriguela! Para a sobremesa, as pedidas são o mil folhas de tapioca e o nego bom, mistura de goiaba com banana, que vem embrulhado no papel laminado. Huuuuummm!!!
Além dos restaurantes das novas pousadas, há mais duas indicações: 1) o Bar Duda Rei, um simpático pé-na-areia na Praia da Conceição, com caipirinhas, caipiroskas, vários petiscos e boa música! 2) o Mergulhão Noronha, na Praia do Porto, bem em frente à Baía de Santo Antonio, com seus almofadões de chita displicentemente jogados ao deus-dará. A vista privilegiada para o Morro do Pico divide as atenções com as tendas do gramado, a música lounge e, claro, com o cardápio! Entre os pratos estrelados está o peixe crocante do dia recheado com camarão, lascas de queijo e palmito, acompanhado de purê de abóbora. E tem ainda a lagosta ao molho de jabuticaba com limão e ervas, o polvo com caju...
Duda Rei
Mergulhão
 
 
E não se atreva a voltar para casa sem experimentar os famosos e deliciosos bolinhos de tubalhau - carne de tubarão salgada, semelhante a bacalhau – à venda no Museu do Tubarão, um must taste da ilha! O cardápio traz ainda a Tubalhoada (lascas de tubalhau, batata, cebola e azeite) e o Tuba Burguer! Muito “muderno”!
 
Quando ir:
Evite março e abril, quando chove muito, e prefira a época seca, que vai de agosto a fevereiro. Já entre agosto e novembro o mar vira uma piscina e fica perfeito para a prática do mergulho. Para acompanhar a desova das tartarugas, que acontece na praia do Leão sob supervisão do Projeto Tamar, vá entre abril a julho.

Considerada o Havaí Brasileiro, a temporada de surfe na ilha vai de dezembro a fevereiro, sendo o local onde as melhores ondas tubulares se formam! É um bonito espetáculo tanto para quem surfa, quanto para quem só observa, e os melhores locais para a prática desta atividade são as praias de Cacimba do Padre, Boldró, Conceição, Cachorro, Meio e Biboca.
 
 
Informações importantes:
- Caixas eletrônicos 24hs: no aeroporto, no Projeto Tamar e na agência do Santander;
- Taxa de Preservação (permanência na ilha): R$ 45,00 por dia! Pague antecipadamente para evitar filas:  www.noronha.pe.gov.br;
- Taxa de visitação: R$ 65,00 para brasileiros e R$ 130,00 para estrangeiros;
- Não há casas de câmbio e muitos dos estabelecimentos locais não aceitam cartões de débito nem de crédito, então leve dinheiro e cheques;
- Há voos diários partindo de Recife ou Natal, que duram aproximadamente 1 hora;
- Na viagem de ida, escolha um assento na janela do lado esquerdo do avião, garantindo as melhores vistas do arquipélago, antes do pouso;
- A internet é disponibilizada via satélite e sua eficiência é bastante precária, havendo dias que há possibilidade de navegação e dias sem nenhuma navegação! Isso é ótimo! 
Não se esqueça de colocar na mala:
- Repelente
- Remédios
- Protetor solar
- Óculos escuros
- Boné / chapéu
- Tênis / papete
- Mochila / cantil
- Câmera fotográfica
- Carteira de habilitação
- Credencial de mergulho (para pessoas certificadas)
- Muita disposição!
Termino este post com mais uma boa novidade em Noronha, criada no ano passado: no Sueste e nas trilhas para o Mirante do Sancho, o Mirante Dois Irmãos e a Baía dos Golfinhos foram implantados os Postos de Informação e Controle (PIC), uma estrutura bem bacana de apoio aos deficientes físicos! Eles agora podem chegar até esses maravilhosos points e também mergulhar no Sueste, com muito mais autonomia! Estas trilhas adaptadas foram construídas com plástico reciclável, que parece madeira, e são como passarelas suspensas que saem do PIC, onde há banheiro próprio para cadeirantes, duchas, lanchonete, lojinha, aluguel de equipamento de mergulho e claro, a ajuda de monitores!
 
 
No Sueste o mergulho acontece com a utilização de cadeiras anfíbias, que como o nome já dá cola, entram na água, depois de deslizarem por uma rampa em direção ao mar, sempre com a supervisão dos monitores. Quem tem mobilidade nos braços consegue até fazer o mergulho com cilindro! Mais uma belíssima iniciativa, veja no vídeo como isso ocorre na prática!


Linda, renovada, inclusiva, politicamente correta e fashion, essa é a Noronha dos sonhos e da uma nova realidade sustentável! E como se não bastasse, ainda tem a praia mais bonita do mundo! Eu já fui, agora só falta você!


3 comentários:

Timothy E. disse...

Excellent article as always! I'm going to Natal this summer. Any tips?

Vania Moreira disse...

Dear Tim, thank you for your visit again!
Wow, let me know when you are coming and how many days you are staying in Natal, because of course I have many tips for!!!

And how about Rio de Janeiro, wouldn't you like to visit me?

http://regmodels.ru disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.